quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O meio.


Eu desejei que tudo que eu sentisse de bom se tornasse natural a mim. Desejei que tudo que fosse certo chegasse até mim sem que eu precisasse procurar. Eu nunca quis ser alguém de mentira. O melhor de tudo foi que de tanto que desejar eu conquistei algo que até pra mim parece meio oposto, até inimaginável. Conquistei meus sentimentos racionalmente. É certo que me encontro justamente na metade, me encontro no meio.
Eu sei que muito do que eu posso ser é apenas lenda. Mas entre a verdade e a lenda eu me encontro bem no meio. Todo mundo acaba sendo o que os outros pensam que você é, e o que você realmente conhece de si mesmo. É a metade do bem e do mal que faz de nós seres humanos. A minha parte ruim não me assusta, e a sua está bem longe de me ver partir.
Eu sei que talvez seja preferível que eu me encontro com o pé em um só lado do território. É mais fácil polemizar as coisas assim. Mas foi assim que eu encontrei o equilíbrio. Meu equilíbrio.

"Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada."
Clarice Lispector.

Sandy Quintans

2 comentários:

  1. às vezes parece que você me descreve :)

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, Sandy.
    É impressionante como você consegue descrever os sentimentos.
    Beijos :)

    ResponderExcluir